Mercado

Fabricante de produtos de borracha se preocupa com o futuro do planeta

Em entrevista, Jorge Hoelzel Neto, presidente da Mercur, fala dos planos ambientais da empresa

 

“Precisamos servir mais à sociedade do que nos servimos dela para aumentar resultados”, foi o que disse o presidente da Mercur, Jorge Hoelzel Neto, em entrevista para a IstoÉ Dinheiro.

Engajada social e ambientalmente, a quase centenária fabricante de produtos de borracha hoje se preocupa mais com o futuro do planeta do que com os lucros

Com quase cem anos, a Mercur decidiu, em 2007, passar a borracha em algumas de suas práticas e processos. Há alguns anos, o faturamento se mantém no patamar (cerca de R$ 100 milhões). A empresa aboliu sua linha de materiais escolares com personagens infantis depois de constatar que ela gerava apenas competição entre as crianças e mais gasto para os pais.

Passou então a se preocupar mais com o impacto dos seus produtos na vida das pessoas e do meio ambiente. Nesse processo de reestruturação foram abolidos negócios com a indústria tabagista (para a qual fornecia esteiras de borracha), armamentista, de bebidas alcoólicas e de itens que possam gerar qualquer tipo de maus tratos aos animais.

Depois, o empresário Jorge Hoelzel Neto também criou ações de impacto na Floresta Amazônica. A companhia decidiu, há alguns anos, comprar a borracha da região. Apesar de ser mais cara do que a produzida em massa nos campos de monocultura, essa opção gera renda à população local — e assim colabora com a preservação da floresta.

Para ler a entrevista na íntegra, clique aqui.

 

Leia também: Safra da borracha supera expectativas em MT

 

Leia também: Produtos da agricultura familiar terão desconto na hora de quitar empréstimo

 

Fonte: Primeira Página com informações do site IstoÉ Dinheiro.

Redes Sociais