Indústria

Indústria 4.0 pode gerar economia de até R$ 73 bilhões para o país

Práticas inovadoras podem gerar redução de custos com manutenção e reparos de equipamentos em até R$ 35 bilhões ao ano

 

A chamada Indústria 4.0 ou 4ª Revolução Industrial engloba tecnologias para automação. Espera-se que com ela pelo menos 30 novas profissões sejam criadas ao longo dos anos, beneficiando 8 diferentes áreas.

Alguns dos setores que sofrerão tais mudanças são: automotivo, alimentos e bebidas, construção civil, têxtil e vestuário, tecnologia da informação e comunicação, máquinas e ferramentas, químico e petroquímico, petróleo e gás.

Uma pesquisa realizada pela Price Waterhouse Coopers (PwC), mostrou que somente 9% das empresas estão em nível avançado de digitalização. Com isso, a expectativa é que até 2020 este percentual passe para 72%.

De acordo com um levantamento da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), ao adotar os conceitos da Indústria 4.0 na matriz produtiva brasileira seria possível gerar uma economia de R$ 73 bilhões anualmente.

Em sintonia com as 30 novas profissões que podem ser criadas, a ABDI acredita que a manutenção de equipamentos seja a mais capaz de se beneficiar. A redução dos custos e reparos pode chegar a R$ 35 bilhões ao ano.

“Um trabalho pode ser compreendido como um conjunto de atividades e na maior parte deles, o que provavelmente ocorrerá é uma transformação tecnológica de uma parcela dessas atividades. Por exemplo, um médico normalmente usa exames por imagens como diagnóstico para certas doenças, comenta o coordenador de Indústria 4.0 da ABDI, Bruno Jorge.

 

Segundo ele, a análise dessas imagens poderá ser realizada por algum sistema de visão de máquinas, mas o diagnóstico continuará sendo feito pelo especialista. “Ou seja, nas diversas profissões haverá um impacto diferenciado das tecnologias da Indústria 4.0, como a inteligência artificial”.

 

Leia também: Atendimento ao cliente é decisivo na hora da compra online

Leia também: Mais de 90% dos vendedores usam ferramentas digitais para fechar negócios

 

Fonte: Primeira Página com informações da assessoria de imprensa da ABDI.

Redes Sociais