Notícias


Publicado em:
5
4/2019

Artigo: Soluções colaborativas de robôs aumentam em 85% a produtividade

Por Omar Alejandro Aquino Bolaños, gerente Geral para a América Latina da Mobile Industrial Robots.



Metatags: Indústria, Soluções, Robôs
Divulgação

O uso de robôs colaborativos móveis continua sendo uma maneira relativamente nova de gerenciar tarefas internas de transporte nas empresas, e "o que posso fazer com esse robô" é uma pergunta que as pessoas costumam fazer quando decidem implementar novas tecnologias robóticas.


Mas essa pergunta é rapidamente esclarecida visto que as soluções de automação robótica podem aumentar em 85% a produtividade do segmento industrial, de acordo com a Federação Internacional de Robótica (IFR, sigla em inglês).


 Sendo assim, a robótica viabiliza aumentar a produtividade dos negócios 0,35% ao ano em diferentes setores. Esse é aproximadamente o mesmo aumento atribuído ao mecanismo a vapor, considerado um exemplo clássico de uma "tecnologia de propósito geral" que tem um impacto difundido e de longa data em vários setores.


Isso porque os colaboradores deixam de fazer o serviço de transportar prateleiras/contêineres e focam em atividades mais estratégicas. Com robôs móveis colaborativos, essas tarefas são automatizadas de maneira simples, eficiente e econômica.


 Os robôs móveis possuem uma interface aberta, o que significa que podem ser montados com módulos superiores personalizados, independentemente do que a aplicação de cada usuário requer. Alguns exemplos de soluções para robôs móveis são:


Unidades de prateleiras


As unidades de prateleiras são frequentemente utilizadas para transportar produtos semiacabados ou totalmente acabados entre produções, produção e armazém ou na logística de armazém. Os módulos de prateleira são freqüentemente usados em instalações semiautomáticas, nas quais um funcionário aciona o robô móvel por meio da interface ou, com um botão instalado, coloca todos os produtos ou mercadorias no robô e o envia para outro ponto.


Essa unidade também pode ser usada com um módulo de prateleiras, para que o robô possa coletar e descarregá-las.


Cintos e correias transportadoras


Os robôs móveis podem ser implementados com um módulo de correia transportadora superior, para que possam locomover itens. Estes são frequentemente vistos em soluções totalmente automatizadas, onde robôs móveis movem elementos entre linhas de produção ou da linha de produção para a entrega.


Robôs móveis são o link adaptativo entre correias transportadoras tradicionais e permitem que as empresas sejam mais eficientes, pois podem transportar itens com flexibilidade entre diferentes linhas de produção.


Monta-cargas automatizada


Dentro da logística, uma solução que é freqüentemente usada com robôs móveis é aquela em que eles rebocam um palete ou plataformas. O robô móvel pode localizar o garfo da plataforma e transportá-lo para seu destino de forma autônoma. Assim, os funcionários só precisam carregar e descarregar o palete e economizar um tempo valioso, já que não precisam fazer o transporte por conta própria.


Braço robótico


Os robôs móveis adicionam mobilidade aos braços robóticos e são usados em produções e logística de armazém, onde o processo de coleta repetida de produtos das prateleiras do armazém e sua transferência para trás e para frente podem ser automatizados. Também é relevante para lojas de varejo onde os robôs podem retirar pedidos de diferentes locais e entregá-los em uma área de expedição.


Essas são tarefas monótonas que os robôs podem executar e liberar a equipe para tarefas mais valiosas e estratégicas. Tanto os robôs móveis quanto os braços robóticos são colaborativos e podem trabalhar em conjunto com humanos sem qualquer segurança adicional.

Fonte: Primeira Página, com a colaboração de Omar Alejandro Aquino Bolamos, Gerente Geral para a América Latina da MiR.


Últimas notícias

Banco Central revê previsão de crescimento para 2019

Segundo último relatório Focus, estimativa agora é de PIB 1,71% superior ao ano passado.
Leia Mais

Em 105 dias, varejo cresceu 1,8% em São Paulo

Só na primeira quinzena de abril, a alta foi de 6% sobre os 3,2% do ano passado.
Leia Mais

O que deve mudar no comportamento do consumidor brasileiro em 2019?

Neste artigo, Danielle Denys, gerente de marketing do Grupo Acerte, revela que, em todas as categorias de produtos, o consumo do brasileiro aumentou.
Leia Mais